DÁ INSTRUÇÃO AO SÁBIO, E ELE SE FARÁ MAIS SÁBIO AINDA; ENSINA AO JUSTO, E ELE CRESCERÁ EM PRUDÊNCIA. NÃO REPREENDAS O ESCARNECEDOR, PARA QUE TE NÃO ABORREÇA; REPREENDE O SÁBIO, E ELE TE AMARÁ. (Pv 9.8,9)

terça-feira, 4 de novembro de 2008

O Tempo: um ensaio à semântica neotestamentária


Introdução

Nos estudos proféticos é necessário distinguir os principais períodos e tempos de que tratam as Sagradas Escrituras. Ao lermos as páginas do Cânon Sagrado constatamos o uso de uma linguagem tanto histórica quanto profética que discorre sumariamente sobre os tempos, estações, dias, e assim sucessivamente. Muitos dos fatos que ocorrem dentro desses períodos são considerados sinais. Nos estudos proféticos, "sinal" é tudo aquilo que serve de advertência e, que possibilita prever ou reconhecer a aproximação de um acontecimento profético relevante.

No grego, o vocábulo sēmeion (shmei/on), traduzido por sinal [não confundir com sēmeron (sh,meron), isto é, "hoje", "neste dia"], tanto pode significar "atos milagrosos", quanto ‘sinalizar um evento profético’ (Mt 12.38; 24.3), podendo, às vezes, os dois sentidos serem combinados (At 2.19,22).

Quando a Escritura fala de "últimos tempos", "últimos dias", "sinais dos tempos", "tempos dos séculos" entre outros, a que se refere? Vejamos inicialmente a problemática apresentada por Jesus em resposta aos seus discípulos em Atos 1.7: "E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder". Antes de sua morte vicária e sacrifical Jesus respondeu aos fariseus em Mateus 16.2: "Quando é chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está rubro [...] hipócritas, sabeis diferençar a face do céu e não conheceis os sinais dos tempos?". Em outra ocasião com os seus discípulos, estes lhe perguntaram: "Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?" (Mt 24.3).

Portanto, um resumo e organização dos principais termos e expressões usados nas páginas do Novo Testamento, possibilitará o entendimento sobre o sentido de tempo nas Escrituras.

1. Tempos Proféticos

a) Sinais dos Tempos (sēmeia tōn kairōn/shmei/a tw/n kairw/n). Mateus 16.3: “E pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Hipócritas, sabeis diferençar a face do céu e não conheceis os sinais dos tempos?”.

b) Tempo dos Gentios (kairoi ethnōn/kairoi. evqnw/n). Lucas 21.24: “E cairão a fio de espada e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem.”

c) Últimos Tempos (Hysterois Kairois/u`ste,roij kairoi/j). 1 Timóteo 4.1: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios”.

d) Últimos Dias (Eskhatais hēmerais/ evsca,taij h`me,raij). 2 Timóteo 3.1: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos”.

e) Tempos da Restauração (Chronōn apokatastaseōs/cro,nwn avpokatasta,sewj). Atos 3.21:“o qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio”.

f) Tempos e Estações (Chronōn kai kairōn/cro,nwn kai. tw/n kairw/n). 1 Tessalonicenses 5.1:“Mas, irmãos, acerca dos tempos e das estações, não necessitais de que se vos escreva”. [Dentro do contexto da epístola é provável que ‘tempos’ (chronōn - cro,nwn) se refira as etapas escatológicas em geral, enquanto ‘estações’ ou ‘tempos fixados’ (kairōn - kairw/n), a períodos específicos da escatologia referida por toda a epístola].

2. Tempo Histórico

a) Tempos Antigos (geneōn archaiōn/genew/n avrcai,wn). Atos 15.21: “Porque Moisés, desde os tempos antigos [literalmente gerações antigas], tem em cada cidade quem o pregue e, cada sábado, é lido nas sinagogas”.

b) Tempos Passados (Parōkhēmenais geneais/parwchme,naij geneai/j). Atos 14.16: “o qual, nos tempos passados, deixou andar todos os povos em seus próprios caminhos”.

3. Tempo Salvífico

a) Tempos dos Séculos (Khronōn aiōniōn/cro,nwn aivwni,wn). 2 Timóteo 1.9: “que nos salvou e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos dos séculos [literalmente ‘tempos eternos’]” (Tt 1.2).

b) Tempos Eternos (Khronois aiōniois/cro,noij aivwni,oij). Romanos 16.25: “Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto”.

c) Tempos do Refrigério (Kairoi anapsykseōs/kairoi. Avnayu,xewj). Atos 3.19,20: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham, assim, os tempos [fixados] do refrigério pela presença do Senhor”.

d) Plenitude dos Tempos (Plērōma tou Khronou/plh,rwma tou/ cro,nou). Gálatas 4.4: “mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei”. (Ef 1.10)

4. Tempo "A Era Messiânica"

a) Últimos Dias (Eskhatou tōn hēmerōn/evsca,tou tw/n h`merw/n). Hebreus 1.1[2]:“Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho”.

b) Últimos Tempos (Eschatou tōn Khronōn/evsca.tou tw/n cro,nwn). 1 Pedro 1.20:“ o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós”.

5. Tempo Natural

a) Tempos Estações [Frutíferas] (Kairous karpophorous/kairou.j karpofo,rouj). Atos 14.17: “contudo, não se deixou a si mesmo sem testemunho, beneficiando-vos lá do céu, dando-vos chuvas e tempos frutíferos, enchendo de mantimento e de alegria o vosso coração”.

b) Tempos Ordenados (Prostetagmenous kairous/prostetagme,nouj kairou.j). Atos 17.26: “e de um só fez toda a geração dos homens para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos [literalmente ‘posto em ordem os tempos fixados’] já dantes ordenados e os limites da sua habitação”.

c) Tempos Fixados (Kairous/kairou.j). Gálatas 4.10: “Guardais dias, e meses, e tempos, e anos”.

Um dos sinais proféticos, a apostasia, fora descrita por Paulo em 1 Timóteo 4.1: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios”. É necessário observar que últimos tempos (hysterois kairois/u`ste,roij kairoi/j) nesse contexto, refere-se à palavra profética persuasiva comunicada pelo Espírito Santo. O uso de kairois no lugar de khronos designa um tempo do qual não podemos administrar ou evitar; ele é certo, determinado ou fixado por Deus e infalivelmente ocorrerá. É um tempo que somente Deus tem o controle. Neste caso específico, a apostasia antecederia os últimos dias (eskhatais hēmerais), ou seja, é um sinal que precede e demarca o final do tempo dos gentios (kairoi ethnōn), segundo Lucas 21.24: “E cairão a fio de espada e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem.”

Sejamos, pois, atentos aos sinais que Deus estabeleceu como sinalização da aproximação de sua vinda.

11 comentários:

Ev. Carlos Eduardo Leite disse...

Parabéns por mais este artigo tão rico em conhecimento, nos mostrando uma perspectiva mais abrangente sobre o tempo.
Deus te abençoe, um forte abraço e fique na paz de Cristo.

www.gqlgeracaoquelamba.blogspot.com

Daladier Lima disse...

Prezado Pr Esdras, excelente análise.

Gostaria de aproveitar a discussão do assunto para dar relevo a determinados padrões criados pelos estudiosos do grego no Brasil. Alguns desses estudiosos na verdade pouco conhecem do assunto, ficando à mercê de interpretações de terceiros.

Me refiro á colocações que associam, por exemplo, o amor ágapê, única e exclusivamente, ao amor de Deus (colocação rechaçada por Carson, em seu brilhante A Exegese e Suas Falácias). Assim como kairós a tempos exclusivamente pelo Senhor determinados. Vê-se nos exemplos citados em seu post que várias vezes tempos determinados por Deus são mencionados por outros termos, caso clássico de Atos 3:21.

Outrossim, há várias outras referências a tempos sem ligação com completude ou plenitude, como se kairós fosse "o tempo de Deus". Exemplos: At 3:20, 7:20, 12:1, 19:23, 24:25, Rm 8:18, Hb 9:9,15 entre outros.

É lícito registrar que o tempo está no controle de Deus, logo todo e qualquer tempo está sob seu domínio. A questão é a restrição de ocorrências à sua atuação. Como se faz com o verbo agapaô e seus cognatos, contrariando ocorrências como Lc 7:5, 11:43; Jo 3:19, 12:43; Ef 1:25,28,33 entre outras referências.

Ressinto-me apenas que posts assim sejam tão pouco debatidos nos blogs de nossa blogosfera cristã.

Abraços!

Rouver Júnior disse...

A paz de Cristo Jesus.

Não quero ser inconveniente, mas gostaria, Esdras, se possível, que você entrasse em meus dois blogs: Eclésia Contemporânea e Páginas Incadernadas. No primeiro estou fazendo comentários bíblicos e no segundo gostaria de saber o seu pensamento sobre 2 postagens: "Uma refutação - Relativismo" e " Erros e racionalidade - Ciência, naturalismo e evolucionismo.

Creio, ficarei bem contente de ver um comentário teu expondo tua visão.

um abraço.

A paz de nosso Senhor e Salvador, e Mestre, Jesus Cristo, o Filho de Deus.

Rouver Júnior disse...

Ah, creio pelo meu nome poder Encontrar um de meus blogs, pelo menos, mas para evitar equívocos e facilitar:

Eclésia Contemporânea - http://eclesiacontemporanea.blogspot.com

Páginas Incadernadas -
http://paginca.blogspot.com

Se julgar meus comentários inconvenientes, sinta-se à vontade para deletá-los, irmão em Cristo. Escrevo-os para te comunicar; feita a comunicação...

Fica com Deus.

Anônimo disse...

olá, a paz do Senhor.

Gostaria de lhe fazer uma pergunta que no entanto não tem muito a ver com o assunto( é que não obtive outra forma de poder contactar-lhe pedindo que não venha a publica-lo.)
Sobre Mateus 28:52,53; que fala a respeito dos santos que ressuscitaram :("e tidos por alguns teólogos como uma representação dos santos ressuscitados por Cristo no futuro").
*Eles ressuscitaram na hora da morte de Jesus?
*Eles ficaram na terra para depois morrer?
*O que o original realmente nos diz?
* Tipificam os salvos ressurretos?
Gostaria que você me respondesse atravez do meu email (ianneoliveir@yahoo.com.br)
ou produzisse algum estudo sobre esse assunto.
ficarei grata por sua atenção;
Desculpe-me por qualquer incoveniente.
Aguardo a resposta.
Fica na Paz do Senhor!
Ianne de Oliveira A. silva

*Eduardo Neves & Firmino Jr.* disse...

Graça e Paz

Olá irmão, estou aqui novamente, mas agora p/ convidá-lo a conhecer o meu mais novo espaço na net (“Graça Diária”); juntamente c/ o irmão Firmino Jr. (companheiro nos tempos de seminário), levaremos aos sedentos e famintos: o Pão e a Água da vida!
Trata-se de um blog onde a santa Palavra do nosso Senhor e Deus Jesus Cristo será exposta e exortada de forma inteligente!

Espero sua visita e comentário!

Um abraço!
Eduardo Neves e Firmino Jr.

http://vcejesus.blogspot.com

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene

Prezado Ev. Carlos, muito obrigado por suas palavras motivacionais.
Foi uma honra conhecê-lo na Conferência no Amapá.
Espero vê-lo pessoalmente em outra ocasião.
Felicidades!

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene

Prezado Daladier, obrigado por sua nobre participação no Teologia & Graça.
Concordo com suas assertivas. Muitos anacronismos semânticos e paralogismos verbais prejudicam a correta interpretação do texto bíblico.
Em nosso livro Hermenêutica Fácil e Descomplicada, discutimos alguns perigos do uso inadequado do estudo dos vocábulos, principalmente análises históricos-culturais que ignoram os hapax legoumenon e dão ao termo sentidos não pretendidos pelo hagiográfo.

Por esta razão estou organizando um seminário de Hermenêutica Bíblica para pastores e professores.

Um abraço
Esdras Bentho

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene

Prezado irmão Rouver Jr., só tive tempo de responder o comentário dos amigos hoje, 17/11, pois estávamos nas ministrando hermenêutica nas conferências de Escolas Dominicais promovidas pela CPAD. Assim que for possível farei uma visita ao seu blog e deixarei um comentário.

Um abraço
Esdras Bentho

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene
Prezado (ianneoliveir@yahoo.com.br), assim que possível farei uma exegese do texto.
Fique atento em nosso blog.

Um abraço
Esdras Bentho

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene

Prezado irmãos Eduardo & Firmino, assim que possível farei uma visita e um comentário em vosso blog.
Deus os abençoe pela iniciativa.
Um abraço
Esdras Bentho

TEOLOGIA & GRAÇA: TEOLOGANDO COM VOCÊ!



Related Posts with Thumbnails