DÁ INSTRUÇÃO AO SÁBIO, E ELE SE FARÁ MAIS SÁBIO AINDA; ENSINA AO JUSTO, E ELE CRESCERÁ EM PRUDÊNCIA. NÃO REPREENDAS O ESCARNECEDOR, PARA QUE TE NÃO ABORREÇA; REPREENDE O SÁBIO, E ELE TE AMARÁ. (Pv 9.8,9)

segunda-feira, 6 de julho de 2009

O CURRÍCULO NECESSÁRIO: Da Mistificação da Escola à Escola Necessária


Imagem extraída de: germinai.wordpress.com

(Introdução à leitura de RODRIGUES, NEIDSON. Da Mistificação da Escola à Escola Necessária. 11. ed., São Paulo: Cortez, 2003.)

Fala-se muito em “escola necessária”, “professor necessário”, “currículo necessário”, “avaliação necessária”, entre outros. Mas o que significa o termo “necessário” aplicado à escola, ao currículo e ao professor?

No contexto filosófico, especificamente em Kant, o necessário é distinto daquilo que é contingente. O contingente é a) mutável, b) volúvel, c) multiforme, d) indeterminado, e) incidental; enquanto o necessário é: a) aquilo cuja não-existência não é possível; b) o ser ou a coisa cuja existência é essencial; c) o ser ou a coisa cuja essência é existir; d) o ser ou a coisa cuja existência e a essência são idênticas.

Na Teologia, o conceito de necessário aplicado a Deus designa: a) um Ser cuja não-existência não é possível; b) um Ser cuja existência é essencial; c) um Ser cuja essência é existir; d) um Ser cuja essência e existência são idênticas.
Logo, um ser ou coisa “necessária” é diferente de um ser ou coisa “contingente”. Se aplicarmos o sentido teológico às coisas existentes, podemos afirmar que nada que existe é necessário, mas tudo é contingente. Porém, limitados à vida cotidiana, necessário, do adjetivo latino necessariu, significa tão-somente aquilo que “não se pode dispensar”, ou “essencial”. Portanto, falamos de professores indispensáveis, currículo necessário e escolas indispensáveis.

Se há o professor, a escola e o currículo necessários será que também há os professores, as escolas e o currículo desnecessários? Mas, quais os critérios para sabermos quais são os professores, as escolas e os currículos necessários dos desnecessários? A partir de qual perspectiva a escola, o currículo e o professor são necessários?

Grosso modo, uma escola, currículo e professor necessários são aqueles que são tanto essenciais quanto indispensáveis para a formação do aluno. Contudo, o aluno é formado com uma intencionalidade, pergunto, qual é a intenção da escola, do professor e do currículo na formação do aluno? Quais elementos ideológicos estão por detrás do currículo, uma vez que não existe escola neutra, educador neutro e também currículo neutro? Para cumprir certos propósitos a escola ou o Estado atuam na elaboração dos currículos. Isto posto, um currículo é um grupo de disciplinas que constituem um curso de estudos que é planejado e adaptado às necessidades do aluno e dos propósitos da escola. Há, entretanto, currículos que são preparados com os mais distintos propósitos.

Apresentamos abaixo alguns exemplos de como o currículo das primeiras séries do Ensino Fundamental são adaptados e organizados por algumas instituições no ensino de Estudos Sociais:

1. Preparação das crianças para os anos posteriores da sua escolaridade.
Exemplos: Trabalhos voltados para o desenvolvimento motor e de hábitos e atitudes; (2) Aquisição de procedimentos para copiar, repetir e colorir produções prévias.

2. Valorização das atividades com ênfase nas festas do calendário nacional: Dia do Soldado, do índio, das Mães, etc.
Exemplo: Os alunos colorem desenhos mimeografados pelos professores: coelhinhos, soldados, etc.

3. Atividades voltadas para o desenvolvimento da noção de tempo e espaço.
Exemplo: Práticas e conteúdos desvinculados de suas relações com o cotidiano, os costumes, História e com o conhecimento geográfico construído na relação entre os homens e a natureza.

4. Propostas que partem da idéia de que falar da diversidade cultural, social, geográfica e histórica significa ir além da capacidade de compreensão das crianças.
Exemplo: São negadas informações valiosas para que os alunos reflitam sobre as paisagens, modos distintos de ser, viver e trabalhar dos povos, histórias de outros tempos que fazem parte de seu cotidiano.

5. Propostas que se limitam à transmissão de certas noções relacionadas aos seres vivos e ao corpo humano.
Exemplo: Valorizam a utilização de terminologia técnica, classificando animais e plantas segundo as categorias da Zoologia e da Biologia, o que pode constituir uma formalização de conteúdos não significativos para as crianças: “são mamíferos”, “são anfíbios”.

6. Práticas voltadas para uma formação moralizante, como no caso do esforço a certas atitudes relacionadas à saúde e à higiene.
Exemplo: Predominância de valores, estereótipos e conceitos de certo/errado; feio/bonito/ limpo/sujo/ mau/bom.

7. Práticas que realizam experiências pontuais de observação de pequenos animais ou plantas, cujos passos já estão previamente estabelecidos, sendo conduzidos pelo professor.
Exemplo: (1) Ênfase apenas sobre as características imediatamente perceptíveis. (2) Os problemas investigados não ficam explícitos para os alunos e suas idéias sobre os resultados do experimento, bem como suas explicações para os fenômenos não valorizados.

Todavia, para que o currículo seja necessário é imprescindível que ele possibilite ao aluno contato com diferentes elementos, fenômenos e acontecimentos do mundo; que os alunos sejam instigados por questões significativas para observá-los e explicá-los, a fim de que tenham acesso a modos variados de compreender o mundo e a sociedade em que vivem.

Portanto, a formação de conceitos e a aprendizagem de fatos, procedimentos, atitudes e valores não se realizam de modo descontextualizados, pelo contrário. O conhecimento da ciência, por exemplo, deve ser mediado pelo mundo social e cultural (relatos orais, livros, jornais, revistas, televisão, rádio, fotografias, filmes, etc.
Outra ocasião falaremos do currículo nas Escolas Dominicais brasileiras.
Um abraço

9 comentários:

André Quirino disse...

Prezado pastor Esdras, a paz do Senhor!

Parabéns pelo ótimo texto! Aguardo o que tratará sobre o currículo nas Escolas Dominicais brasileiras. Com seu trabalho, o senhor, juntamente com outros homens de Deus, tem contribuído para a evolução da área de educação cristã nas igrejas brasileiras. Aliás, a sala de adolescentes de minha congregação está estudando a revista que é comentada pelo senhor. É maravilhosa!

Mas, voltando ao post, quero frisar este trecho: "Na Teologia, o conceito de necessário aplicado a Deus designa: a) um Ser cuja não-existência não é possível; b) um Ser cuja existência é essencial; c) um Ser cuja essência é existir; d) um Ser cuja essência e existência são idênticas". Isto tem relação com o post anterior que fala sobre Dawkins. Pode-se dizer que Deus "existe" (na verdade, é - como o senhor disse, "essência e existência são idênticas"), e isto basta. É incontestável e irrefutável.

Que Deus continue lhe abençoando.

Abraços!

João Paulo disse...

Paz do Senhor Pr Esdras,

Assim como o Irmão André eu também aguardarei o artigo que se refere à Escola Dominical, tenho trabalhado como professor dos jovens e vejo que a boa qualidade das aulas na ED podem fazer deles cristãos preparados para responderem àqueles que lhes pedirem a razão da esperança que há no cristão, por isso meu desejo de empenhar-me nesse campo. inclusive deixo aqui minha manifestação pública em pedido que os nossos ensinadores da CPAD contribuam de forma abundante, no que se refere à educação, publicando bons materiais nos blogs, seria o caso do Pastor, do Pr César, do Pr Alexandre Coelho, do Pr Geremias por exemplo; os blogs evangélicos são muitos pela grande rede, mas são poucos os que tratam da excelência do ensino, e algumas vezes sem constância. Outro problema Pr Esdras é a escassez de conteúdos de qualidade no youtube, vemos tantos "pregadores" lá com suas verborréias acessadas milhares de vezes, e acerca dos bons ensinadores brasileiros quase nada se acha, acho que seria uma boa forma de divulgar a qualidade do ensino, se puderem fazê-lo através desses meios de comunicação de forma mais abundante é certo que será grande o aproveitamento.

Pela excelência do ensino da Igreja, que continue com os artigos que tanto nos são úteis.

Abraço.

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene
Prezado André, muito obrigado pelas palavras motivacionais. Fico feliz que os irmãos e irmãs adolescentes estejam apreciando a revista do novo currículo, especificamente A Vida em Sociedade, de nossa autoria. Apenas para informar, essa revista já foi traduzida para o espanhol.

A respeito de Deus, como a Causa Primeira de todas as coisas, Deus é um Ser não-causado. O que é não-causado existe em si mesmo e de si mesmo, que é o que se quer dizer por asseidade. Deus, portanto, é um Ser necessário. Um Ser necessário é por natureza um que não pode não existir, e o que não pode não existir tem existência em si mesmo e de si mesmo. Por conseguinte, Deus é auto-existente (tem asseidade). A Necessidade se segue da Pura Realidade. Deus é Pura Realidade sem potencialidade passiva de qualquer tipo. A pura realidade não tem potencial para não existir, e o que não tem potencial para a não-existência tem de existir. Portanto, o que é pura realidade é uma existência necessária; Deus é uma existência necessária.

Um abraço

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene
Prezado João Paulo (pastor?), agradeço por sua participação no Teologia & Graça. Já iniciei o texto a respeito dos currículos de Escola Dominical, acredito que será uma boa contribuição ao discernimento e reflexão. O caro irmão está trabalhando com um propósito nobre formar “... cristãos preparados para responderem àqueles que lhes pedirem a razão da esperança que há no cristão...”; este é o propósito do Novo Currículo da CPAD, e o irmão compreendeu adequadamente a filosofia do trabalho.
Quanto ao ensino e desenvolvimento de textos de educação cristã, e a “escassez de conteúdos de qualidade no youtube”, o irmão tem razão, mas é necessário procurar...procurar...procurar... Uma opção seria se as igrejas que realizam conferências de ED e as costumam gravar, disponibilizassem trechos dessas conferências no youtube. Pensando assim, verei a possibilidade de disponibilizar alguns estudos de escola bíblicas e de conferências da ED que temos ministrado.
Compartilho de sua preocupação.

Um abraço.
Esdras Bentho

André Silva disse...

A Paz do Senhor, Pastor Esdras

Currículo necessário?
Esta é uma das maiores interrogações no meio pedagógico, visto que ao descobrirmos o currículo necessário estaríamos encontrando o pote de ouro no fim do arco - íris. Por outro lado, descobrir o currículo necessário tem sido o cansaço daqueles que por uma escola necessária vêm lutando até hoje sem encontrar respostgas a tantas contradições.
O necessário também passou a ser visto como uma vontade de acertar ou encontrar, uma busca desesperada, mesmo que inútil, passou a ser uma fórmula mágica: "está aqui o novo currículo, será através deste e não mais do antigo, pois as coisas mudaram" e depois descobrem que o contexto histórico mudou ai se apresenta mais um novo currículo.
Bom, necessário mesmo seria encontrarmos uma saída para escola necessária? Seria doar aos nossos alunos a rede e o peixe? Enquanto procuro respostas,fico verbalizando aqui o que é ou não necessário, sendo eu seu aluno deveria colocar em prática todo esse texto que ao menos, para minha visão, tentou possibilitar ao leitor uma forma de experimentar tudo o que é palpável para que possamos nós professores levar à escola necessária a caminhar com o Caminho na vida pela Vida. Quanto ao currículo, estarei esperando seu novo texto.
Eu, um professor de Escola Dominical, tentando aprender mais e descobrir o que pode ser necessário, para melhor levar à Palavra a minha sala.

Que as mãos do grande Eu Sou continuem abençoando o senhor e sua familia.

Em Cristo,
Irmão André Silva - PE
http://olhos30.blogspot.com

André Silva disse...

A Paz do Senhor, Pastor Esdras

Currículo necessário?
Esta é uma das maiores interrogações no meio pedagógico, visto que ao descobrirmos o currículo necessário estaríamos encontrando o pote de ouro no fim do arco - íris. Por outro lado, descobrir o currículo necessário tem sido o cansaço daqueles que por uma escola necessária vêm lutando até hoje sem encontrar respostgas a tantas contradições.
O necessário também passou a ser visto como uma vontade de acertar ou encontrar, uma busca desesperada, mesmo que inútil, passou a ser uma fórmula mágica: "está aqui o novo currículo, será através deste e não mais do antigo, pois as coisas mudaram" e depois descobrem que o contexto histórico mudou ai se apresenta mais um novo currículo.
Bom, necessário mesmo seria encontrarmos uma saída para escola necessária? Seria doar aos nossos alunos a rede e o peixe? Enquanto procuro respostas,fico verbalizando aqui o que é ou não necessário, sendo eu seu aluno deveria colocar em prática todo esse texto que ao menos, para minha visão, tentou possibilitar ao leitor uma forma de experimentar tudo o que é palpável para que possamos nós professores levar à escola necessária a caminhar com o Caminho na vida pela Vida. Quanto ao currículo, estarei esperando seu novo texto.
Eu, um professor de Escola Dominical, tentando aprender mais e descobrir o que pode ser necessário, para melhor levar à Palavra a minha sala.

Que as mãos do grande Eu Sou continuem abençoando o senhor e sua familia.

Em Cristo,
Irmão André Silva - PE
http://olhos30.blogspot.com

João Paulo Mendes disse...

Caro Pr Esdras,

Não sou pastor, o que recebi de Deus é a promessa de ser útil em Sua obra, muitos dizem que será como um pastor, isso ouvi não poucas vezes, mas tenho esperado nEle, penso que ainda caminharei muito na fé, pois com 26 anos ainda estou no começo da jornada. Apesar do caminho que deve ser percorrido para ser um pastor, sabendo que é necessário que Deus o decida primeiro, tenho caminhado com o propósito de cooperar no ensino de "minha" igreja de forma mais excelente possível, se na caminhada Deus quiser usar-me de forma mais abundante, como pastor, que seja como Ele quiser. Ano passado ao estar aqui em Araguari o Pr César ao fazer a dedicatória em "O Mundo de Rebeca" grafou Pb. João Paulo, só depois descobriu que era só João Paulo, mas talvez seja um sinal de Deus.

Hoje trabalho como líder dos adolescentes, sou músico e professor da classe de jovens na ED, vejo que os alunos carecem muito do básico, mesmo aqueles que já têm um certo tempo de Igreja.

Mas ajudado por Deus e por bons ensinadores como o Pr e os outros citados na resposta anterior a cada dia tenho compreendido mais e mais o que é ensino de qualidade, com excelência. Essa semana comprei alguns exemplares do Mensageiro da Paz para verdemos na igreja, não temos lucro, mas é para que nossos irmãos possam ser ensinados também em casa, no trabalho, na rua, onde puderem levar o jornal; minha fé foi pouca pois acabaram-se os jornais, mas essa semana pediremos mais da CPAD em BH.
Ainda na ED desejo trabalhar junto não só como professor, mas na liderança também, e quando chegar o tempo gostaria de contar com a ajuda do Pr.não só através blog, mas presente aqui em MG.

Aguardaremos o próximo texto e também os estudos que possa compartilhar.

Abraço.

Janela para cristo disse...

A Paz do Senhor meu amado irmão.
Tenho visto alguns blogs e no meio deles eu achei seu blog gostei muito dos artigos que ele retrata e sempre que puder voltarei aqui!

Se puder de uma olhadinha no meu.

http://janelaparacristo.blogspot.com/

geografialegal disse...

KERO JÁ



KERO JÁ





KERO JÁ







KERO JÁ

TEOLOGIA & GRAÇA: TEOLOGANDO COM VOCÊ!



Related Posts with Thumbnails