DÁ INSTRUÇÃO AO SÁBIO, E ELE SE FARÁ MAIS SÁBIO AINDA; ENSINA AO JUSTO, E ELE CRESCERÁ EM PRUDÊNCIA. NÃO REPREENDAS O ESCARNECEDOR, PARA QUE TE NÃO ABORREÇA; REPREENDE O SÁBIO, E ELE TE AMARÁ. (Pv 9.8,9)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O Enigmático Sansão

Carl Heinrich Bloch "Sansão" óleo s/tela

Apesar de Sansão ser alistado no rol dos Heróis da Fé (Hb 11.37), está longe de ser um paradigma da fé neotestamentária. O jovem Sansão, no hebraico, “pequeno sol”, perfila no livro de Juízes como um personagem enigmático. Não somente pelo fato de gostar de propor enigmas, mas antes porque só tarde resolveu o mistério de sua própria vida.

Sansão era nazireano. O voto de nazireu (heb. “abster-se”), obrigava o israelita a consagrar-se a Deus por um período ou por tempo vitalício, como foi o deste (Nm 6). No pacto, a pessoa era proibida de beber vinho (Nm 6.3,4), cortar o cabelo (Nm 6.5), ou de aproximar-se de um cadáver (Nm 6.6,7). A dedicação e consagração a Deus era solene. A partir de então, o sujeito era “nazireu de Deus” (Jz 13.5c).

As sete maravilhas de Sansão

A mitologia grega classifica e atribui doze trabalhos a Hércules. Porém, deixando o lendário para o histórico e o ficto para o real, a Bíblia não descreve doze, mas sete maravilhas feitas por Sansão: o estrangulamento manual de um leão (Jz 14.6); a morte de trinta homens em Asquelom (v.9); a destruição da seara dos filisteus com ajuda de trezentas raposas (Jz 15.4,5); a matança de mil homens com a queixada de um jumento (Jz 15.15); o genocídio e vingança de Sansão (vv.7,8); a destruição dos portões de bronze de Gaza (Jz 16.2); e a destruição do templo de Dagom, principal divindade dos Filisteus.

Sansão é símbolo de força e coragem; juventude e disposição. Todavia, tais qualidades contrastam com a falta de temperança, domínio próprio e obediência desse personagem. O que faltava de sobriedade sobrava em virilidade. Uma juventude plena de energia desperdiçada nas avenidas, tabernas e ruelas escuras das cidades dos gentios. O raro era a paciência e o vulgar a condescendência aos desejos latentes. A virtude e o vício impunham-se como tiranos, aguardando apenas uma decisão.

O exemplo de Sansão

Sansão é uma figura exacerbada em contrastes: destruiu um leão que rugia à sua frente, mas não conseguira vencer o ego que urrava dentro de si; extinguiu a vinha dos adversários, no entanto, não fora capaz de viver longe dos vícios das cidades; propôs enigmas para outros, mas, de fato, jamais resolvera os mistérios de sua própria vida e juventude; carregou nos ombros os fortes ferrolhos de Gaza, mas fora arrastado pelos seus costumes condenáveis; matara tantos com a queixada de um animal impuro, contudo, deixou-se vencer pelas impurezas que deveria subjugar; embora forte o suficiente para matar trinta homens, não fora corajoso o bastante para dominar sequer três vícios que silenciosamente o desafiavam no coliseu íntimo da consciência e do desejo; o apetecia olhar as linda mulheres dos inimigos e, por esta razão, seus olhos foram vazados, arrancados como protesto.

Sansão... o mais forte guerreiro nas batalhas e o jovem mais admirado nas praças. Era temido pelos inimigos, cobiçado pelas donzelas de Israel, paparicado pelos pais, mas jamais compreendera sua missão. Um bonifrate levado ao talante das circunstâncias!

Dominava tantos inimigos, mas não conseguia dominar e conquistar a si mesmo. Cedeu aos vícios dos inimigos até ser cativo deles. Rodeou a vida impudica de Gaza até girar um moinho no cárcere da cidade. Brincava de se deixar amarrar por Dalila e, por fim, ficara amarrado nas colunas de Dagom. Gostava tanto de seus lindos cabelos trançados que ficou calvo. Era um jovem alegre, brincalhão, mas acabou divertindo os inimigos com pilhérias e momices – ele próprio.

Todavia, em certo momento, por um ato soberano e gracioso de Javé, coloca a mão sobre a cabeça e, com o crescimento paulatino do cabelo, percebe que a aliança de Javé permanecia firme. Seu cabelo crescera... o voto fora renovado... sua oração ouvida...e o resto virou história e seu retrato posto na galeria dos Heróis da Fé!

10 comentários:

WELINGTON BARTELS disse...

Excelente reflexão da biografia de Sansão! Muitos de nós às vezes somos como Sansão, fortes em questões externas e um fracasso em nossos próprios conflitos. Inabalavéis externamente e um caos internamente.Que Deus nos dê força para sermos interioramente fortes.

Que Deus continue a te abençoar.

Welington Bartels

zwinglio rodrigues disse...

Pr. Bentho, paz!

O que derruba um homem de Deus é o não reconhecimento dos seus limites interiores... se eles ficarem à sombra do que é de fora e que exala um suposto vigor, há de ser o pior inimigo do homem... Sansão é uma prova disso...
.
Muita boa a sua reflexão.
.
Abraços!

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Esdras,

Creio que Deus não nos vê em pinceladas, mas num panorama tal que a soma de nossas virtudes é abatida de nossas desgraças. O que sobra é o que se vê nesta galeria. Eu nunca matei ninguém e Deus nunca me chamou de manso como chamou Moisés!

Parabéns por sua abordagem.

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene

Prezado Bartel, Sansão simboliza exatamente isso. Precisamos observar o quanto o fruto do Espírito é necessário ao pleno desenvolvimento do caráter. Sansão não tinha domínio próprio, temperança - fruto do Espírito. Júlio Schwantes afirma que a maior fraqueza de Sansão estava relacionada ao domínio próprio. Sem esse fruto o mais forte torna-se o mais fraco e vunerável cristão.

Esdras bentho

Lucivaldo de Paula disse...

excelente postagem meu querido Pastor! o senhor faz parte dos teologos que eu admiro. Agradeço ao meu Deus pela sua vida, e de sua linda familia! Apaz do Senhor.

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor!!!

Passei aqui para lhe convidar para um "fórum" ou um debate que estou tendo com os "advetitas" igreja a qual eu considero uma das piores seitas do Brasil, um verdadeiro calvalo de tróia.

Esse é o site: http://setimodia.wordpress.com/2010/01/04/o-sabado-atraves-dos-seculos/

NÃO PRESISA PUBLICAR.

dindiberg disse...

Olá,

Parabéns pelo blog meu irmão, ótimo trabalho o que você está fazendo aqui.

Também sou pentecostal, e fico muito feliz de ver um trabalho como esse aqui.

já estou te seguindo e ficaria muito feliz se você me desse a honra de visitar o meu blog também, e talvez, caso você goste, segui-lo.

Eis ai o link: http://ferazaoegraca.blogspot.com/

Fica na Paz.

Herlon Charles V. Carvalho disse...

A Paz do Senhor Pr. Esdras, eu gostaria de entrar em contato com o Senhor, pois preciso de algumas orientações, assumi a superintendência da escola de minha Igreja, e confesso que estou sentindo o peso desta tão grande responsabilidade, eu gostaria de convidar o senhor para estar ministrando uma reciclagem aos nossos professores. meu e-mail é herloncharles@live.com, eu precisaria de telefone de contato do senhor, o meu é 7669-8494. Obrigado pela atenção. A Paz de Cristo.

Jean Patrik disse...

PAZ DO SENHOR PASTOR!!!


VEJA ESSE ARTIGO NO SITE>>> http://setimodia.wordpress.com/2010/02/02/quem-e-miguel-o-arcanjo/

Judson Canto disse...

Caro Esdras,

Parabéns pelo artigo. Sansão é mesmo uma das personagens mais enigmáticas da Bíblia. Era juiz em Israel e, portanto, um líder, mas não há no registro de sua história um único indício dessa liderança, a não ser a declaração genérica de que ele a exercia. Parecia mais um cavaleiro solitário e desorientado, a brandir a sua lança contra os inimigos e contra si mesmo, uma vida de altos e baixos que Deus, pela sua graça, permitiu terminar no alto.

Abraço.

Judson.

TEOLOGIA & GRAÇA: TEOLOGANDO COM VOCÊ!



Related Posts with Thumbnails