DÁ INSTRUÇÃO AO SÁBIO, E ELE SE FARÁ MAIS SÁBIO AINDA; ENSINA AO JUSTO, E ELE CRESCERÁ EM PRUDÊNCIA. NÃO REPREENDAS O ESCARNECEDOR, PARA QUE TE NÃO ABORREÇA; REPREENDE O SÁBIO, E ELE TE AMARÁ. (Pv 9.8,9)

terça-feira, 8 de junho de 2010

1 Pedro 2.1-25: A Conduta Cristã

Estrutura
2 Pedro 2.1-25 está dividido em quatro seções: (a) vv. 1-8; (b) vv. 9,10; (c) vv. 11-17; (d) vv. 18-25.
O principal objetivo deste capítulo é exortar os cristãos à santidade e excelência moral nos relacionamentos sociais. Para cumprir esse propósito, o apóstolo apresenta uma breve lista de vícios (v.1), intermediando com a real identidade do crente e de Cristo (vv.2-10), bem como dos deveres sociais dos santos (vv.11-25).
Trata-se, segundo Lohse, de um extenso catálogo de normas para a vida doméstica (2.11-3.12)[1]. Emolduram-se citações veterotestamentárias às exortações gerais de conduta nas perícopes: vv.6-9. O procedimento do cristão-cidadão para com o Estado semelha em estilo e vocabulário à epístola aos Romanos 13.

Os versículos 11 e 12 são a chave para compreendermos o propósito e estrutura desta contundente parênese. Por meio dos termos epithymia – desejo –, sarks – carne –, e psichē – alma [eu] –, o literato emprega um vocabulário que descreve uma forte tensão espiritual e moral na pessoa (Rm 7). Conforme Barth, “a existência do homem é a luta entre duas vontades, e a admoestação consiste em combater esses desejos e rejeitá-los”[2].

Apesar de haver uma estrutura coerente e pertinente ao propósito da perícope, dividiremos o presente capítulo em quatro unidades temáticas.

I. A identidade peregrina do cristão (vv.5,9,10,25).

Forasteiros (paroikous) e peregrinos (parepidemous), v.11, concepção que não é originalmente petrina, mas figura extraída da identidade dos fiéis no Antigo Testamento (Abraão [Gn 15.13;23.4]; Davi [1 Co 29.15],etc.) Nas páginas do Novo Testamento, o conceito encontra-se em Ef 2.19; Fp 3.20; Hb 11.9,13, etc.

Pedras vivas (lithoi dzontes), v.5, conceito extraído da relação entre Jesus, o edificador (oikodespotes), e a Igreja, a casa espiritual (oikos peneumatikos), constituída para exercer o sacerdócio santo e real (Mt 16.18; Hb 3.2-5). O próprio Cristo é a Pedra Angular, v.6s – de tropeço e escândalo para os infiéis e de acesso e edificação para os crentes, vv.8,9. Ver Is 8.14;28.16. Pedro associa essa imagem aos conceitos apostólicos de 2 Co 6.16; Ef 2.19-22; 1 Tm 3.15; Hb 10.21. Ver Mc 14.58 e 1 Pe 4.17.

Geração eleita (genos eklekton). Uma série de títulos de honra de Israel extraídos de Êx 19.6 e Is 43.20 são aplicados à comunidade cristã. Os cristãos já foram chamados de “estrangeiros eleitos”, na fórmula triádica de 1.1,2; agora, “geração ou povo eleito”; sacerdócio real (Ap 1.6; 5.10); nação santa; povo adquirido (Tt 2.14; ver Rm 9.7; Gl 3.29; 6.16), tudo com o propósito de anunciar as virtudes salvíficas de Cristo (v.9; Mt 28.19,20; Mc 16.15). Esses título honoríficos acentuam a dignidade e excelência da Igreja diante do Senhor e perante o mundo.

II. A natureza do cristão (vv.1,2,11,12).
Essa natureza é santa, oposta a toda malícia (kakia – malignidade, maldade, perversidade), Rm 1.29; Ef 4.31; 1 Co 5.8, todo engano (dolos – armadilha, estratagema para capturar, fraude), Mt 26.4; Mc 7.22; 14.1, e fingimentos (hypokriseis – ator de teatro; hipócrita, fraudulento),Mt 6.2,5,16;7.5, e invejas (ciúme, rancor), Mt 27.18; Mc 15.10, e murmurações (katalalias – fofocar, falar contra, caluniar, detração, difamação), Tg 4.11; 2 Co 12.20; 1 Pe 3.16.

III. O comportamento do crente (vv.1,2,11-13,18-25).
(a) Consigo (vv.1,2,11); (b) os outros (v.12); (c) e autoridades (vv.13). Independente de sua classe social, mas seguindo o exemplo de abnegação de Cristo (vv.18-25).

IV.A identidade de Cristo (vv.4,6-8,25).

Notas

[1] LOHSE, Eduard. Introdução ao Novo Testamento. São Leopoldo: Sinodal, 1972, p. 226.
[2] BARTH, Gerhard. A primeira epístola de Pedro. São Leopoldo: Sinodal, 1967, p.58.

3 comentários:

Kenner Terra disse...

Olá Pastor Esdras,

Parabéns pelo texto. Gostaria de, caso ainda não tenhas acessado, recomendar o importante livro de J. Elliott ("Um Lar para que não tem casa"), traduzido na década de oitenta. Ele faz, segundo sua conceituação, uma "exegese sociológia" da carta a partir dos "paroikoi" e "parepidemoi". E também indico o seu comentário na Anchor Bible ("1 Peter: A New Translation with Introduction and Commentary, v.37b. The Anchor Bible. Doubleday: New York, 2000").
Grande abraço

Kenner Terra disse...

Olá Pastor Esdras,

Parabéns pelo texto. Gostaria de, caso ainda não tenhas acessado, recomendar o importante livro de J. Elliott ("Um Lar para que não tem casa"), traduzido na década de oitenta. Ele faz, segundo sua conceituação, uma "exegese sociológica" da carta a partir dos "paroikoi" e "parepidemoi". E, também, indico o seu comentário na Anchor Bible ("1 Peter: A New Translation with Introduction and Commentary, v.37b. The Anchor Bible. Doubleday: New York, 2000").
Grande abraço

Josiel Dias disse...

Olá meu querido Pastor; Graça e Paz.
Como é bom encontrar blogs como este, que nos fortalece na fé.
Gostaria de aproveitar a oportunidade e divulgar o nosso blog

Mensagem Edificante para Alma
http://josiel-dias.blogspot.com/
Seria para nós uma satisfação em nos visitar. Tê-lo como seguidor se for da sua vontade, nos alegrará.
Aprendendo uns com os outros crescemos na graça e no conhecimento.

Josiel Dias
IEC RJ

TEOLOGIA & GRAÇA: TEOLOGANDO COM VOCÊ!



Related Posts with Thumbnails