DÁ INSTRUÇÃO AO SÁBIO, E ELE SE FARÁ MAIS SÁBIO AINDA; ENSINA AO JUSTO, E ELE CRESCERÁ EM PRUDÊNCIA. NÃO REPREENDAS O ESCARNECEDOR, PARA QUE TE NÃO ABORREÇA; REPREENDE O SÁBIO, E ELE TE AMARÁ. (Pv 9.8,9)

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Evidências Externas da Autoria Mosaica (Fim)

Evidências Externas

A Tradição Judaica
  • a) - O Eclesiástico, um dos livros da coletânea apócrifa, que foi escrito por volta de 180 a.C., presta o seguinte testemunho: “Isso tudo é o livro da aliança do Deus Altíssimo, a lei que Moisés baixou para ser a herança das assembléias de Jacó”.

  • b) - O Talmude, um comentário judaico sobre a Lei (Torá), que data de aproximadamente 200 a.C., e a MISHNAH, uma interpretação e legislação rabínica, que data de mais ou menos 100 a.C., atribuem como sendo Moisés o escritor da Torá.

  • c) - Flávio Josefo, historiador Judeu do século 1º d.C., declarou em sua obra, Contra Apion: “Pois não temos conosco uma multidão incontável de livros, discordando uns dos outros e contradizendo-se uns aos outros, mas somente vinte e dois livros que com justiça são aceitos como divinos; e desses, cinco pertencem a Moisés, contendo as suas leis e as tradições da origem da humanidade, até a sua morte”.

Testemunho Histórico de Cristo e dos Apóstolos

Cristo e os apóstolos igualmente deram testemunho inequívoco de que Moisés foi o autor da Torá: Jo 1.17; 5.45-47; 7.19-23.

Os apóstolos também ratificaram a autoria mosaica: At 3.22 (cf Dt 18.15); Rm 10.5: “Ora, Moisés escreveu que o homem que praticar a justiça...".

Mas a teoria JEDS, de Wellhausen, e a crítica moderna racionalista, negam que Moisés tenha escrito quaisquer dessas coisas. Isto significa que Cristo e os apóstolos estavam totalmente enganados ao julgarem que Moisés as tenha escrito de fato. Um erro dessa categoria, tratando-se de fatos históricos que podem ser atestados, levanta séria dúvida quanto a poderem os ensinos teológicos que tratam de assuntos metafísicos - fora de nossa capacidade de comprovação, serem aceitos como dignos de confiança ou dotados de autoridade.

Assim, vemos que a questão da autenticidade de Moisés como escritor do Pentateuco é assunto da maior importância para o cristão. A autoridade do próprio Cristo está em jogo nessa questão.


Em síntese, Moisés é o autor do Pentateuco. Para provar este fato, apresentamos:
a) - Jesus confirmou a autoria de Moisés ao Pentateuco (Jo 5.46; 7.19; Mc 7.10; 12.26);
b) - As evidências internas da autoria de Moisés (Êx 24.4; Nm 33.2; Dt 31.9,24-26; Jo 1.17).

............................................................. fim .............................................................................................

O próximo assunto é: Pós-modernidade!

3 comentários:

Ciro Sanches Zibordi disse...

Parabéns pela iniciativa de criar um blog voltado para a correta interpretação da Bíblia. Isso é fundamental, principalmente nesses dias tão difíceis que antecedem a Segunda Vinda!

Deus o abençoe!

Ciro Sanches Zibordi
http://cirozibordi.blogspot.com

Pastor César Moisés disse...

Caro Ev. Esdras Bentho

Você finaliza o assunto da autoria do Pentateuco, asseverando a autenticidade do texto bíblico quanto à autoria mosaica, de maneira fundamentada.

O importante é que, além de nos proporcionar um substancioso material, evidencia que a autoria mosaica não é um anacronismo, como erroneamente postulou a Crítica Literária.

Parabéns e esperamos mais

Um abraço

Faculdade de Teologia disse...

Parabens muito bom seu Post,muito interesante!!!!Fik c paz d cristo!!!
Abs!
Faculdade Teológica

TEOLOGIA & GRAÇA: TEOLOGANDO COM VOCÊ!



Related Posts with Thumbnails